Junho 2018 - CARNA BH

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Dia do Mestre-sala e da Porta-bandeira- 10 de junho

14:57 0
Dia do Mestre-sala e da Porta-bandeira- 10 de junho

10 de Junho, dia do Mestre-sala e da Porta-bandeira
GRES-Estrela do Vale 


 GRES- Acadêmicos de Venda Nova


 GRES-Imperavi De Ouros


   GRES- Canto da Alvorada 

  GRES- Cidade Jardim

  GRES-Estrela do Vale 

 GRES- Bem-Te-Vi


10 de Junho, dia do Mestre-sala e da Porta-bandeira


 são na verdade o casal de  Artistas dançarinos que exercem a função de conduzir e apresentar o panteão ou seja a  bandeira  de uma escola de samba ou bloco no desfile de carnaval.


A dança do mestre-sala e da porta-bandeira surgiu nos ranchos, em que o baliza e o porta-estandartedeviam defender os símbolos da associação. A defesa, nesse caso, não era apenas simbólica: membros de um rancho costumavam tentar roubar a bandeira do outro. Por isso mesmo, os primeiros porta-bandeiras eram homens, inclusive quando as figuras foram incorporadas pelas escolas de samba. Um dos primeiros porta-bandeiras de que se tem registro foi Ubaldo, da GRES Portela. Por sua vez, Maria Adamastor foi uma das primeiras mestre-salas.
Com o tempo, a atuação dos balizas e porta-estandartes evoluiu para o giro da porta-bandeira acompanhada pelo gingado do mestre-sala. Uma hipótese é de que essa mudança foi influenciada por danças rituais pré-nupciais das adolescentes africanas cortejadas pelos jovens guerreiro. Outra possível origem do formato atual é a dança encontrada nas festas populares e sepultamentos, em que as tribos eram identificadas por bandeiras coloridas.
Em 1938, a fantasia do mestre-sala e da porta-bandeira passou a ser um quesito de julgamento no desfile das escolas de samba do Rio.  A partir de 1958 o quesito passou a incluir a dança do casal como quesito de avaliação. 

 Bibliografia:
http://www.avendanova.com.br/index2.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Mestre-sala_e_porta-bandeira

quarta-feira, 6 de junho de 2018

“Samba é coisa de bandido”diz sertanejo Cesar Menotti “

00:45 0
“Samba é coisa de bandido”diz sertanejo Cesar Menotti “
“Samba é coisa de bandido”diz sertanejo Cesar Menotti “

https://www.revistaforum.com.br/wp-content/uploads/2018/06/menotti.jpg

 Na madrugada de domingo, dia 03 de junho  de 2018 no programa da Globo: Altas Horas, o cantor relembrando de episódio de uma apresentação da dupla em uma penitenciária. Contou o sertanejo que os presos insistiam para que a dupla cantasse sambas em seu repertório, o que eles da dupla acham até que de provocação por parte das pessoas que quando pedem um ritimo sabendo que eles não tocariam, daí então o músico disseram  que não canta aquele ritimo e pra completar  o seu parceiro teria dito, “E tem mais, na minha opinião samba é coisa de bandido”.
O apresentador Serginho Groissman e a plateia acharam tudo uma brincadeira, rindo do causo do cantor. O tom ofensivo  não agradou  aos músicos sambista de todo Brasil que nas redes sociais criticaram o ato do artista Menoti. A cantora e compositora Leci Brandão, reagiu e se mostrou indignada com o ocorrido.

Menoti veia a público em videos se desculpando mas as mágoas perduram ainda e gera muita discussão  no mundo do samba. 
consequência do ato, artistas se uniram contra o preconceito ao estilo musical declarado em TV aberta pelo cantor sertanejo.

Manifesto dos Sambistas contra o Preconceito promovido pelo Programa Altas Horas através do cantor sertanejo
 César Menotti


As conquistas democráticas no Brasil desde o fim da ditadura militar vêm sendo ameaçadas. O ressurgimento de práticas racistas e preconceituosas, que alicerçaram o fortalecimento da segregação social, cultural e territorial desde o império até a nova república, vem causando danos irreparáveis para o pleno gozo do estado de direito.

A cultura é uma das expressões mais importantes para a identidade de um povo. É ela que define quem somos, nossos hábitos, nossos costumes, nossa visão de mundo e sobretudo a nossa autonomia enquanto nação! A diversidade musical existente no nosso país, nos torna uma das principais potências no cenário internacional e o “carro chefe” dessa identidade musical, sem sombras de dúvidas é o nosso glorioso Patrimônio o SAMBA!

No último sábado, dia 02 de Junho, no  Programa ALTAS HORAS da Rede Globo, o cantor sertanejo César Menotti, fala em rede nacional, em tom extremamente ofensivo e de deboche, que "O Samba é Música de bandido”, relembrando um episódio por ele vivido em sua trajetória musical.

O Samba é o gênero que representa a alegria e a indignação do povo brasileiro. De Paulo da Portela a Martinho da Vila, de Zé Kéti a Noca da Portela, foram muitos os baluartes que fizeram história posicionando-se politicamente, enfrentando uma luta contra preconceitos étnicos/ raciais e sociais, em defesa da cultura popular.

O Samba é música do trabalhador e do desempregado, da família, de todas as gerações, de todas as classes sociais é patrimônio do povo brasileiro, independente de sua condição sócio, cultural, política, independente de gênero, identidade ou orientação sexual é de todos e todas nós.

O Samba representa assim com outras, a manifestação da alma do povo e o que temos de melhor. A nós, não é possível que Paulinho da Viola, Clementina de Jesus, Geraldo Filme, Madrinha Eunice, Nelson Cavaquinho, Jovelina Pérola Negra, Adoniran Barbosa, Velha Guarda da Camisa Verde e Branco, Velha Guarda da Portela, Cartola, Noel Rosa, Leci Brandão e tantos homens e mulheres que construíram essa história extraordinária, sejam insultados , com a afirmação preconceituosa e infundada de BANDIDOS, como foi dito publicamente pelo Cantor Cezar Menotti!

O Samba sempre soube respeitar os demais gêneros musicais, harmonizar em fortes parcerias e por muitas vezes doou suas células rítmicas, para enobrecer outros estilos musicais. Um comentário, com posicionamento preconceituoso e racista em um Programa de cadeia nacional, viola todos os princípios da ética e do respeito pela diversidade cultural, a qual a nossa sociedade está estruturada.
Repudiamos veementemente o ato preconceituoso proferido pelo cantor sertanejo César Menotti, exigimos imediata retratação pública, na mesma proporção a qual o processo foi proferido, ou seja, em Rede Nacional!

Exigimos direito de resposta por parte dos sambistas, na mesma emissora e programa, para que possamos pronunciar-mos à nação brasileira, desconstruindo a mensagem negativa do ocorrido.

Exigimos também que a justiça aplique medidas sócio educativas como forma de retratação aos profissionais, militantes e simpatizantes do samba como:

1- Retratar-se a população principalmente as Escolas de Samba  do RJ, SP, ES RGS.

2- Abrir  seus shows com Samba Enredo de Vila Isabel Kizomna festa da Raça, no Intervalo convidar um sambista de renome pra cantar e no final cantar o samba da Tuiuti com a comissão de frente completa.

3- O pagamento dos músicos que forem acompanhar os sambistas convidados será pago com a parte do cachê dele.

4- Arcar com o custo desta atividade bem como apresentar um balanço da mesma.

5- Participar de uma aula/palestra sobre a história do samba com base na lei 10.639/03, que prevê a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira"

6- Uma vez por mês visitar um comunidade e terreiro de Samba em São Paulo e no Rio de janeiro.

7- Esta medida terá  validade de  um ano!

Não ficaremos calados e caladas diante à esse desrespeito com o nosso bem mais valioso, sobretudo com a falta de discernimento em colocar os nossos baluartes e a juventude do samba no mesmo nicho de bandidos que, por sinal, não é exatamente no samba que estão localizados…

RESPEITE QUEM PÔDE CHEGAR ONDE A GENTE CHEGOU!

Veja o episódio.

https://youtu.be/Ty9fcm-FlxQ