CARNA BH

sábado, 16 de outubro de 2021

"ÁFRICA MÃE ANCESTRAL DOS IMPÉRIOS GLORIOSOS", Enredo da Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova 2022

23:42 2
"ÁFRICA MÃE ANCESTRAL DOS IMPÉRIOS GLORIOSOS", Enredo da Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova 2022
Foto arquivo GRES-AVN desfile 2020: fotógrafo Edison Luiz - https://www.facebook.com/media/set/?set=a.2727107907326733&type=3:

É com muito orgulho e amor que a Acadêmicos de Venda Nova anuncia o seu enredo para o carnaval 2022, de Beaga!!!

"ÁFRICA MÃE ANCESTRAL

 DOS IMPÉRIOS GLORIOSOS".

Venha desfilar sua nobreza africana com a Venda Nova!!! 🤴🏿👸🏾

Foi neste tom e embalo que amanheceu o dia deste sábado nas redes sociais da vice campeão do ultimo carnaval  de BH a Acadêmicos de Venda Nova. 

Arte divulgação Foto arquivo GRES-AVN

Com a quase certeza de acontecimento do carnaval na capital mineira em 2022 com  o provável  fim da pandemia pela COVID-19, um dos mais aguardados anúncios de enredos para os desfiles  de carnaval das escolas de sambas de Belo Horizonte,  o Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova dispara nesta madrugada do dia 16 de outubro de 2021 sua escolha  de enredo para 2022.

Foto arquivo GRES-AVN desfile 2020: fotógrafo Edison Luiz - https://www.facebook.com/media/set/?set=a.2727107907326733&type=3:

O Pavilhão azul e rosa vai passar!!! ✨💙💕✨

"A Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova exaltará os grandes impérios africanos através do enredo: "África, Mãe Ancestral Dos Impérios Gloriosos". Comenta o carnavalesco e fundador da agremiação, Marco Aurélio Gonçalves  que também é o enredista e propositor  do enredo. Marco Aurélio relatou  que vinha guardando o enredo a nos e sem oportunidade para lançar a proposta.

Foto arquivo GRES-AVN: fotografo Edison Luiz, concurso rainha de bateria - https://www.facebook.com/media/set/?set=a.2727107907326733&type=3:

"A muitos anos os foliões, o público  e  a diretoria da agremiação vinha sonhando com o tema enredo genuinamente africano, que fortalecesse as bases de nossas raízes do samba e das culturas negras brasileiras,  e acredito que este é o momento e merecemos, a cidade merece um espetáculo  com este tema, é muito importante  esta temática ser abordada neste momento que vimos o mundo se transformar  numa era digital avassaladora e é preciso sabermos primeiro de onde viemos e que corpos portamos para chegarmos até aqui, para sabermos quem somos e traçar um novo mundo no pós pandemia  COVID-19." relatou o Vice Presidente do Grêmio Leonardo de Jesus da Silva que também é pesquisador do tema. 

Foto arquivo GRES-AVN: fotografo Edison Luiz - https://www.facebook.com/media/set/?set=a.2727107907326733&type=3:

 "A diretoria da escola percebe que  a proposta  se torna mais uma oportunidade para  escola de samba  e sociedade brasileira refletir sobre suas relações étnicas raciais formadas pelo processo da miscigenação  e é de fundamental importância ressaltar o valores da culturas africanas vindas de grandes impérios do continente Africano. Milhares de heranças ancestrais que  trouxeram até nós  o "semba",  e sua cadência percussiva, ginga, malevolência e beleza dos povos negros."Concluiu  Léo de Jesus.

Porta Bandeira Iara e Douglas - Foto arquivo GRES-AVN: fotografo Edison Luiz - https://www.facebook.com/media/set/?set=a.2727107907326733&type=3:

A exemplo dos reinos: Oyo  que foi um reino dos Iorubas onde hoje é a Nigéria; O reino Fon ou reino de  Daomé onde hoje é o sul de Benin, dentre outros   impérios  o Egípicio um dos mais famosos. 

Foto arquivo GRES-AVN desfile 2020: fotógrafo Edison Luiz - https://www.facebook.com/media/set/?set=a.2727107907326733&type=3:

"No desfile serão apresentados fantasias e adereços alusivos aos grandes impérios: de Gana; de Mali; de Aksum; dentre outros".Comenta o carnavalesco Marco Aurélio.


Foto arquivo  Desfile 2020-GRES-AVN: fotografo Edison Luiz - https://www.facebook.com/media/set/?set=a.2727107907326733&type=3:
Apresentar enredos africanos é uma boa oportunidade de reafirmar as diversidade e relevância das culturas que ajudaram a formar o Brasil. Um assunto tão pouco ensinado nas escolas e exibido na grande mídia, precisa ser revisto sempre.
Foto arquivo particular  do carnavalesco Marco Aurélio Gonçalves
Por isso, as escolas de samba desempenham papel fundamental nas pesquisas e divulgação de temas relacionados com sua própria origem." 
Concluiu  o carnavalesco Marco Aurélio em exclusiva.
Foto arquivo  Desfile 2020-GRES-AVN: fotografo Edison Luiz - https://www.facebook.com/media/set/?set=a.2727107907326733&type=3:

Quer Desfilar na Escola de Samba Acadêmicos de Venda ? Faça contato.

Kiko: 31 9427-4064 - Marco: 31 9692-7105


Abre Alas Que a Imperatriz de Venda Nova Vai Festejar em seu enredo de 2022 no Carnaval de BH

18:22 2
Abre Alas Que a Imperatriz de Venda Nova  Vai Festejar em seu enredo de 2022 no Carnaval de BH
foliã da agremiação, fotografo: https://www.facebook.com/claudinei.souza.771

O enredo escolhido para o desfile de 2021, foi  preservado  para o momento pós pandemia da COVID-19 pela agremiação. 

Imagem  arte de divulgação : Imperatriz  de Venda Nova 

Criada em 2005 a Escola de Samba Imperatriz de Venda Nova já realizou belos espectáculos nos desfiles de Carnaval nas avenidas de Belo Horizonte.

Divulgado na redes sociais da agremiação no dia 06 de outubro de 2021 da escolha do enredo do grêmio para o concurso dos desfiles das escolas de samba de Belo Horizonte em 2022. 

foto divulgação GRES-IVN: Presidente Buda e Carnavalesco Gustavo

"... A proposta é essa manter o enredo, a ideia é permanecer com enredo já divulgado em 2021que infelizmente devido o momento da pandemia não realizamos e devido a expectativa provocada no público e foliões resolvemos manter o enredo, além é claro de permanecer com as brilhantes escolhas do carnavalesco Gustavo para o espetáculo". Comenta o presidente da Escola de Samba, Buda.

Arquivo do grêmio:  Desfile da Imperatriz de Venda Nova 2020


Confira  a sinopse  divulgada pela agremiação na integra.

IMPERATRIZ DE VENDA NOVA CARNAVAL 2022 

Sinopse: 

É a fé, é a vontade, é a tradição, é a forma de festejar e ser feliz que mudam o cenário cultural de uma gente. Festas e festejos, passados de pai para filhos, encontros de gerações onde o sorriso e a emoção fazem das ruas e terreiros o grande palco, onde a magia se torna realidade... 

Vivemos em um Brasil plural, um Brasil onde as raças se misturam e a população, aguarda dia após dia o reencontro com sua ancestralidade. 

Em Belém do Pará, a grande festa da fé, a festança que move fieis e devotos ao Círio de Nazaré, rompe o tempo, rompe as barreiras do acreditar em dias melhores, une as mãos sobe as bênçãos de uma corda, na berlinda de uma santa. Somos o Brasil das crenças, queremos ser o Brasil da tolerância religiosa, Da festa de São Jorge a grande festa de Iemanjá até o grande dia da Lavagem do Bonfim, baldes e águas de cheiro não podem faltar, o Brasil do amém, o Brasil do axé, festeja em comunhão sua crença em Deus, sua crença em seus santos... Sua crença em um amanhã melhor.

 Gira o país em formato de coração, giram festejos entre fitas e enfeites, desperta a Festa do Divino, com sua origem em Portugal, a festa criou raízes em solo sagrado verde e amarelo, celebrada cinquenta dias após a Páscoa, é ligada a Pentecostes, é um festejo de tradição católica, mas de seguidores de todas as crenças.

E entre tantas celebrações, vamos recordar a Folia de Reis, que se apresentam entre danças, músicos e cantores, indo de porta em porta anunciando a chegada do grande messias.

 O vento de inverno anuncia São João, entre fogueiras e quitutes os festejos juninos tomam conta do nordeste brasileiro, e o forró abre alas para cores, remendos e bandeirolas. 

Ainda no Nordeste o Maracatu é tradição, respeito e ancestralidade pendem licença a realeza, rei e rainha ganham as ruas e as famílias se reúnem para prestigiar a sua verdadeira história. 

Engana-se quem acha que elas não festejam e não comandam um festejo, a Marujada é por tradição organizada e dançada por mulheres, os homens se limitam a tocadores, um festejo, uma herança que veio pelos mares, aportou em solo Brasileiro e hoje é resistência cultural. 

Em São Luiz a história ganha vida, e o Bumba meu Boi Maranhense, se faz realidade. Com Influência Européia, Africana e Indígena, a história nos apresenta Pai Francisco e Mãe Catirina, que grávida sentiu desejo de comer a língua do Boi mais querido pelo patrão da fazenda, Pai Francisco então mata o Boi, causando a ira do senhor da fazenda, com a ajuda de seres e crenças ele costura a língua de volta no boi, e o Boi ressuscita, para alegria e festejo de todos. 

Do Norte ao Nordeste, do centro oeste ao Sul do Brasil, a alegria não para, o astral é único e o sorriso no rosto pertence ao Brasileiro. Dançar e festejar, beber e comemorar, em Barretos a festa do Peão é aberta com fé e cavalgada, ela meche e remeche, ela estremece o publico que vibra que cavalga em sentimentos a cada apresentação. São noites de amores e paixões são dias de glórias aos peões. 

E no Sudeste a grande festa do amor, na maior cidade que aqui existe, a tolerância ganha às cores do Arco-Íris, e a magia se “trans-forma” em respeito e direitos. 

Opulenta e com números internacionais, ela comporta milhares de pessoas em São Paulo, festejando pelo direito de amar. Paixão e rivalidade, os tambores anunciam a toada azul e vermelha, despertam os bois de Parintins. A estrela do Boi azul e o coração do Boi vermelho “garantem e capricham” um dos maiores festejos já vistos. Boi Garantido e Boi Caprichoso, se encontram no coração da floresta, em uma Ilha isolada encenam uma disputa através de contos e lendas. De volta ao sul, a Oktoberfest, desembarcamos em Blumenau, lá a festa da cerveja movimenta as tradições e influencias alemãs em nossa gente. Vira, Vira, Vira... Virou, diz o cervejeiro com sua descontração habitual. 

Festejar é preciso, em todos os cantos em todos os lares, a ordem é ser feliz... Assim disse o Rei de todas as festas, de todas as folias... E de repente é carnaval, no país do carnaval. Em todas as regionais batalhas de confete e serpentina, abrem alas para o brilho das musas e dos musos. 

Do maior bloco de carnaval do mundo em Recife, que é chamado de Galo da Madrugada, até a tradicional Banda Mole em Belo Horizonte. Sorrisos e abraços, carinhos e descontração. Dias de festas, dias de gloria. Do frevo de Pernambuco aos blocos de Salvador, abençoados pelas mães baianas entram em cena com seu brilho, o Bloco da Coruja, o Bloco do Camaleão e o Bloco do Crocodilo.

E se a ordem é ser feliz e festejar, a Imperatriz pinta o solo sagrado do samba mineiro com suas cores, gira o seu pavilhão e anuncia o esplendor de sua apresentação... Afinal, a Imperatriz é uma festa Brasileira com certeza ! 

Texto: Felipe Diniz Marinho Enredista e Pesquisador 


Arquivo do grêmio:  Desfile da Imperatriz de Venda Nova 2020

Arquivo do grêmio:  Desfile da Imperatriz de Venda Nova 2020

Arquivo do grêmio:  Desfile da Imperatriz de Venda Nova 2020

Pavilhão do GRES-Imperatriz de Venda Nova
 A escola de samba deixa o convite a todos que quiserem conhecer seu trabalho e  a desfilar pelo grêmio  pode fazer contato e procurar pelas redes sociais. 

Facebook: https://www.facebook.com/Gres-Imperatriz-De-Venda-Nova

A agremiação fica no bairro Jardim Leblon na  região de Venda Nova
Contatos: Presidente - Buda: 31 9705-4433
Carnavalesco - Gusttavo Abreu: 31 9846-7358



terça-feira, 5 de outubro de 2021

"Dilsin" Num brilho Só "O Mulato Sorriso BH" já Deixa Muitas Saudades no Samba de BH.

15:24 0
"Dilsin" Num brilho Só "O Mulato Sorriso BH"  já Deixa Muitas Saudades no Samba de BH.

Adilson de Matos ou Simplesmente "Dilsin"

"O Mulato Sorriso BH" 

https://www.facebook.com/adilson.matos.12/photos
 Dilsin, Filho de Vera Lúcia de Matos e Adilson Roberto  morreu dia 17 de julho de 2021 aos 35 anos   vitima de pneumonia.

"... Ele nasceu em Belo Horizonte e fez 35 anos em 26 de julho de 2021, apenas eu de irmão, moravamos eu, ele e minha mãe. Cozinhar sambar e ir no candomblé, além de viajar beber sua cerveja no domingo ele amava o domingo, Dilsin trabalhava na academia, ele gostava muito de malhar." Segundo Bruno, irmão do artista Dilsin.

Nunca será tarde demais para celebrar a alegria da vida  e se  alguém que fazia bem este papel era este sambista ímpar que tanto alegrava as pessoas por onde passava. Saudades é pouco pra dizer o quanto sentiremos com a falta deste carinha sorridente e amigo de todos. Simplesmente alegre e verdadeiro.
 
Na foto Dilsin e sua amiga inseparável a Rainha de Bateria veterana da GRESCidade Jardim Negahttps://www.facebook.com/adilson.matos.12/photos

"Merece todo nosso respeito, nosso carinho, toda nossa gratidão, fará muita falta, mas ficará para sempre em nossos corações principalmente  aquele belo sorriso que ele tinha."  relata a rainha de bateria Nega.

A sua escola de samba de coração Cidade Jardim não perde sozinha um grande sambista e filho, mas a toda a Belo Horizonte  Sambadeira perde um grande artista.
https://www.facebook.com/adilson.matos.12/photos
 
Fazia parte de um grupo seleto de artistas do samba Mineiro.  Dilsin fazia shows nas noites de festas particulares  convidados por  bandas de samba da cidade, participava de concurso de samba e sempre muito bem recebido e gabaritado, na avenida dava seu recado com lagrimas e suor de sambista nato, sempre muito bem trajado o artista era aplaudido pela sua comunidade. 

https://www.facebook.com/adilson.matos.12/photos
Dilsin era passista da Escola de Samba Tom Maior.

https://www.facebook.com/adilson.matos.12/photos
Além de participar de todos Samba da Quadra, evento realizado rotineiramente pela agremiação  na quadra da escola de samba, ele sempre se apresentava impecável e num brilho só  

"O Dilsin desfilou como rei de bateria da Vermelha  e Branco por dois anos como e como  passista encantava  nos eventos. Ele era chamado de  passista de ouro pelos integrantes da escola." comenta A rainha Nega.

https://www.facebook.com/adilson.matos.12/photos

 Muitos artistas, amigos  do artista, postaram  em suas redes sociais notificações de pesar pela grande perda do mundo artisticod a cidade  de Belo Horizonte.

 Algumas imagens de trabalhos feitos pelo querido artista Dilsin:
fonte: https://www.facebook.com/adilson.matos









sexta-feira, 1 de outubro de 2021

Ricardo Silva Assume a Direção de Harmonia da Escola de Samba Triunfo Barroco

15:12 1
Ricardo Silva Assume a Direção de Harmonia da Escola de Samba Triunfo Barroco

O Barroco Triunfa Na Harmonia 

Com Ricardo Silva

Imagem divulgação  do GRES- Triunfo Barroco

Ricardo 35 anos filho de Aurany Lucia e Luiz Otávio Silvestre e neto de José Baiano(in memorian) da Esola de Samba  Independente dos Camelos em Santa Luzia (Extinta), casado com Vanderli Moreira e papai de 3: Brenda, Bianca e Arthur. O jovem é  fundador do G.R.E.S. Triunfo Barroco, Ricardo é uma das pessoas responsáveis pelo planejamento e execução da escola de samba.

Designer Gráfico e Publicitário de formação, Luziense, agente cultural e fundador do Pagode do Balde em Santa Luzia desde 2013. Incentivador dos movimentos culturais e em singular o Samba. Fez parte da equipe do Bloco Vila Estrela e G.R.E.S. Raio de Sol em 2020. 

 "...Apesar de muito iniciante no processo organizacional, venho de família de escolas de Samba em Santa Luzia, apaixonado pela nossa cultura popular e defensor da Bandeira do Samba. Tenho buscado conhecimento, tive a sorte de estar participando deste curso do Carnaval de Passarela  ofertado pela Belotur em parceria com o Sebrae, e estou muito feliz com tudo isso." Complementou Ricardo.

Em entrevista ao CarnaBH o design  já se apega  na certeza de sucesso no próximo desfile e argumento sobre os suas esperanças em 2022."Sobre os preparativos do próximo carnaval e primeiro desfile da agremiação  estamos com foco e os pés no chão estamos nos reunindo, organizando e torcendo para que pós pandemia possamos estar preparados para entrar na avenida de de peito cheio e cabeça erguida."

Para Ricardo Silva, " ... estar presente nesse processo é dar continuidade na luta, na resistência em defesa de nossa cultura." Comenta o Harmonista  da Triunfo Barroco e diz que só tem a agradecer as boas oportunidades e confiança empregada a ele.

 O carna 

terça-feira, 21 de setembro de 2021

Tamara Carvalho é Coroada a Rainha de Bateria da Escola de Samba Triunfo Barroco

15:09 0
Tamara Carvalho é Coroada a Rainha de Bateria da Escola de Samba Triunfo Barroco

 Rainha de Bateria Triunfo Barroco  

Tamara Carvalho

https://www.facebook.com/bhtrembaodemaisso

Tamara Carvalho Teixeira tem 28 anos, filha da Dona  Simone Mara de carvalho Campos e do Sr. Giovane Eustáquio Teixeira e irmã de Dayane Carvalho,  Anny Carvalho, Luiza Lopes, Gabriel Giovane e morando atualmente na  cidade de Santa Luzia  região metropolitana de Belo Horizonte.

Apaixonada pela vida e pelo Samba a Artista Mineira, Luziense por  natureza, tem se destacado pela beleza e gingado na dança do samba. Por onde passa deixa seu encanto e admiração pelo talento.Em entrevista exclusiva  ao canal CarnaBH, revela um pouco da sua história lindíssima para seus fãs e admiradores. 

foto: Arquivo da artista : https://www.facebook.com/tamara.carvalho1

A trajetória  de Tamara no samba de BH começou em um projeto na Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova."Eu comecei no carnaval de Bh , através da Isis Lisboa , no projeto passista nota 10. Tudo que sei aprendi com ela. No ano de 2015 sai pela primeira vez na ala de passistas da acadêmicos de venda nova. Escola onde aprendi muito também sobre o mundo do carnaval. No ano de 2016 disputei pela primeira vez o concurso da corte real momesca ,no qual recebi o titulo de rainha do carnaval. A partir dai foi uma grande mudança na minha vida .Comecei a fazer trabalhos como passista show nas principais baterias de Bh e região. @MESTRELINGUINHA, @BATERIANOTA10, @CHARANGADOGALO, @BATERIATERREMOTOSHOW,  dentre outros trabalhos. No ano de 2020 desfilei como passista destaque na GRES cidade jardim , escola na qual fui muito bem recebida e acolhida. E agora em 2022 sairei como a primeira Rainha de bateria @triunfobarroco"

foto: Arquivo da artista : https://www.facebook.com/tamara.carvalho1

Ser eleita Rainha da Corte Real Momesca do Carnaval de BH trouxe um salto na vida da artista que comenta. "Ser eleita e fazer parte da Corte Real Momesca do Carnaval de BH, foi um misto de emoções , alegria, ansiedade, medo etc. Mas foi uma das melhores experiências que tive na minha vida, receber carinho, acolhimento, admiração e reconhecimento do público não tem coisa melhor. Não há sensação que explique. Aconteceu tudo de uma maneira inesperada , e foi melhor do que eu imaginava. Só posso agradecer a todos que contribuíram para o título. 

foto: Arquivo da artista : https://www.facebook.com/tamara.carvalho1

foto: Arquivo da artista : https://www.facebook.com/tamara.carvalho1

Como artista do samba em meio a pandemia Tamara revela: "Minha vida sempre foi muito corrida, pois além do trabalho como passista, trabalho fora, estou sempre correndo atrás de novos conhecimentos para agregar em ambos ofícios. Mas me esforço ao máximo para fazer tudo com muito carinho e perfeição. Durante a pandemia tem sido muito difícil, pois muitos de nós sambistas temos o samba como fonte de renda. Com tudo parado foi muito complicado  para  adaptarmos a nova realidade. Perdemos o nosso grande amigo Dilsinho passista  destaque  da Escola de Samba Cidade Jardim que era sem dúvidas uma pessoa essencial para o carnaval de BH, assim como grandes outras personalidades do samba mineiro."

foto: Arquivo da artista : https://www.facebook.com/tamara.carvalho1

Tamara recebeu o convite de honra para ser a rainha da agremiação e declarou, "Foi uma surpresa imensa , realmente eu não esperava. Fiquei muito feliz e muito honrada", Tamara. 

Coroada oficialmente  no evento live  do projeto Roda de Samba - BH Trem Bão Dimais Sô, realizada no Clube Belo Horizonte dia 19  de setembro de 2021, evento apresentado pela Kaiete e participaçao especial da Corte Real Momesca de BH 2020. Curta o evento em:https://www.youtube.com/watch?v=94WQZmKDhLo

fotos do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=94WQZmKDhLo

Tamara Carvalho recebeu a faixa Oficial pelas mãos do Diretor de carnaval do Grêmio Filipe Diniz.

fotos do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=94WQZmKDhLo

Pela primeira vez como rainha de bateria de agremiação e sendo  a primeira rainha da agremiação Triunfo Barroco em seu primeiro desfile previsto para 2022, Tamara entra já de cara  para  a história do da escola de samba e já sai  prometendo que não haverá arrependimentos: 
 Foto divulgação: Triunfo Barroco

"Me sinto muito grata e muito honrada. Darei o meu melhor para que saia tudo conforme estamos  planejando e para que possamos fazer um carnaval a altura que BH e nossos turistas merecem  assistir", Comentou Tamara.

https://www.facebook.com/bhtrembaodemaisso
A Rainha Tamara garante que suas expectativas para a avenida em 2022 , "São as melhores , eu vou me preparar e oferecer o meu melhor para que carnaval retorne com muita maestria", Complementa Tamara. 

veja album completo do evento em -  https://www.facebook.com/bhtrembaodemaisso

Contatos da Agremiação:  Felipe Diniz 31 99519-7427 e  Alvimar 31 8808-0407

O Portal Carna BH deseja vida Longa a Rainha Tamara Carvalho.





sexta-feira, 10 de setembro de 2021

É 11 de Setembro, um Lenitivo para os Sambistas que Pedem Socorro e Respeito

15:24 4
É 11 de Setembro, um Lenitivo para os Sambistas que  Pedem Socorro e Respeito

Um samba em tom de resistência ainda em meio a pandemia da COVID 19 que levou 
a morte muitos 
 sambistas   e deixou muitos artistas sofrendo por falta de trabalho e pouco apoio do poder público. 

foto arquivo do Coletivo Mestre Conga 

Apesar da data escolhida ser 11 de setembro, dia marcada pela grande catástrofe da queda das torres nos estados Unidos da América como ato terrorista, a pandemia também leva nestes anos muito a dignidades das pessoas e principalmente a classe artística que sobrevive da arte. m resposta e indignação pelo descaso feito pelo poder público a classe o Coletivo de Sambistas Mestre Conga resolveu expressar de forma musical seu pedido de apoio ao poder público para os artistas que vivem em fragilidade econômica e social por não poderem trabalhar durante a pandemia. A entidade, que representa a voz dos artistas do samba de Belo Horizonte, alega que as dificuldades permanecem mesmo com a lenta volta das atividades. 

 

foto arquivo do Coletivo Mestre Conga 

Uma música protesto vai ser lançada com o nome de Samba do Coletivo (Lenitivo). Composta por Cabral e Carlitos Brasil, será apresentada em 11 de setembro, às 09 horas pelo YouTube do Coletivo de Sambistas Mestre Conga. A música vai ficar disponível também em plataformas como Spotfy.

“As consequências de um ano e meio sem shows e rodas de samba e, consequentemente, sem cachê e outros tipos de remuneração, atingiu em cheio a renda dos profissionais do mundo do samba - principalmente os de comunidades e periferias – e nas vidas das suas famílias. Relatou um dos intérpretes da canção Lenitivo, Nonato do Samba.

Eliete Ná, Aninha Felipe, Cabral, João Batera e Jussara Preta, são outras vozes do samba mineiro que participaram da gravação do samba de forma gratuita. Músicos importantes do gênero como a musicista revelação Fernanda Vasconcelos, Fábio Martins, Andinho Santo (arranjador), Rodrigo Martins, Ivan de Souza, Carlitos Brasil, Daniel Junior, Alan Ricardo e Douglas Batera também participaram. 

 

A produção e direção musical do samba ficaram por conta de Andinho Santo; Douglas Santos foi o técnico de captação, mixagem e masterização e o samba foi gravado na Dom de Arte Produtora com o apoio de Reinaldo Avelar. O vídeo do clipe musical foi produzido com imagens de fotos e vídeos feitas por celulares dos músicos em gravação e reunidos e editados pelo arquiteto Leo de Jesus em seu Studio Arch LJ e pelo Blog de carnaval CarnaBH apoiadores e colaboradores da ação dos artistas.

 

foto arquivo do Coletivo Mestre Conga 

O Coletivo Mestre Conga 

O Coletivo de Sambistas Mestre Conga foi fundado em 25 de agosto de 2020 e conta com a participação de mais de 50 sambistas. Um dos objetivos do grupo é tornar o samba de Belo Horizonte patrimônio imaterial da capital mineira. O coletivo também pretende incentivar projetos e políticas públicas que fortaleçam o mundo do samba de Belo Horizonte e região. 

 

Os integrantes do coletivo acreditam que o samba sempre foi uma forma de resistência em defesa da democracia, de melhores condições de vida aos mais pobres, da liberdade religiosa em defesa da arte e da cultura brasileira. 

foto arquivo do Coletivo Mestre Conga 


 A entidade Coletivo mestre Conga tem realizado ações para mitigar a situação de fragilidade social do sambista e da sambista belorizontina. Realizou a distribuição de bolsa-auxílio de 100 reais durante 6 meses para sambistas e familiares, fruto de parceria com a Fundação Vale e as ONGs AREBELDIA, WFP e Ação Cidadania.

Todas as atividades físicas que são realizadas respeitando as normas sanitárias vigentes para combate à Covid.

No dia 11 de setembro Entre no link abaixo e acompanhe a canção, divulgue e compartilhe cm asamigos e familiares. link - https://www.youtube.com/watch?v=SIZODBY_fp8


Vamos conhecer o a letra do samba da resistência.

Samba do Coletivo – Lenitivo

(Cabral e Carlitos Brasil)

 

O samba é o martelo e o prego

O trabalho da gente

O oxigênio do nosso viver

E essa corrente não pode romper

Queremos um abraço

Um aperto de mão do poder

Sem samba não tem trabalho

Não tem cachê

Pra gente seguir essa luta

Pedimos a compreensão

Use a lei para ajudar o cidadão

Chega mais!

Chega mais

Precisamos de auxílio

Chega mais

Precisamos de atenção

O auxílio é o lenitivo

Pro sambista não ficar na mão

O samba é resistência

Faz parte da sua história

Não queremos esmola

Nem mesmo um pedaço de pão

O nosso cantar é de paz

E leva e traz alegria

Em busca de igualdade e harmonia

 

Serviço 

Lançamento do Samba do Coletivo (Lenitivo) 

Dia 11 de setembro 

09 horas pelo Youtube do Coletivo Mestre Conga e em suas redes sociais 

https://www.youtube.com/watch?v=SIZODBY_fp8 


terça-feira, 31 de agosto de 2021

Tebas, Escravo é Reconhecido Arquiteto Após 200 Anos de Sua Morte

13:07 0
Tebas, Escravo é Reconhecido Arquiteto Após 200 Anos de Sua Morte

 RECONTANDO A HISTÓRIA 

Escravo que projetava igrejas é reconhecido como arquiteto 200 anos após sua morte.

Por: HISTORY Brasil

Um escravo conhecido como Tebas se destacou no século XVIII em São Paulo por criar projetos de edifícios, principalmente religiosos. Ele era famoso por dominar a técnica da cantaria, arte de talhar pedras em formas geométricas. Apesar da importância de suas obras, ele só foi reconhecido como arquiteto 200 anos após sua morte.

Entre os trabalhos de Tebas estão a ornamentação da fachada da antiga igreja do Mosteiro de São Bento e a construção do Chafariz da Misericórdia, o primeiro chafariz público da capital paulista. Algumas dessas obras, como as partes frontais da igreja da Ordem Terceira do Carmo e da igreja das Chagas do Seráfico Pai São Francisco ainda existem. Mesmo tendo feito trabalhos de destaque, seu nome acabou caindo no esquecimento.

O Chafariz da Misericórdia, em desenho de José Whasth Rodrigues, (1871-1957); obra foi a mais famosa de Tebas

Sua história foi relembrada recentemente com o lançamento do livro Tebas: Um Negro Arquiteto na São Paulo Escravocrata, organizado pelo jornalista Abilio Ferreira. Nascido em Santos, em 1721, o nome verdadeiro de Tebas era Joaquim Pinto de Oliveira. Como escravo, seu proprietário era um renomado mestre de obras da cidade chamado Bento de Oliveira Lima, com quem aprendeu o ofício. Segundo o inventário de Lima, Tebas era mais valioso do que seus outros quatro escravos que atuavam como pedreiros juntos. 

Com o tempo, Lima e Tebas passaram a ser solicitados para trabalhar em São Paulo. Entre as obras em que atuaram estava a restauração da antiga Catedral da Sé (demolida em 1911). Como Lima morreu antes de terminar a obra, sua viúva ficou endividada e teve que vender Tebas. Como queria concluir a fachada da igreja, o arcebispo Matheus Lourenço de Carvalho comprou Tebas. Após a conclusão da reforma, o religioso concedeu a alforria a ele no fim da década de 1770.

Livre, Tebas continuou a trabalhar na área da construção. Ele morreu aos 90 anos. Em 2018, foi considerado oficialmente arquiteto pelo Sindicato dos Arquitetos no Estado de São Paulo.

Fonte: Veja São Paulo